Papo em Rede

…quero falar

De braços abertos encontrei a paz

Imagem 216

Em uma dessa viagem com o Projeto Saúde e Alegria encontrei algo maravilhoso.

Uma réplica do Cristo Redentor do Rio de Janeiro!!!!!

Claro, rezei.

Aonde está esta réplica? Em Vila Gorete rio Arapiuns, eta povo hospitaleiro!!!

Quando tiverem oportunidade visite a nossa Amazônia, a nossa gente ribeirinha.
Um abraço mocorongo!!!!

Anúncios

julho 2, 2009 Posted by | Amazônia, conversas mocorongas, cultura | 1 Comentário

Parabéns! minha cidade.

Minha cidade estar em festa no dia 22 de junho completará 348 anos. Com um povo animado, festivo e muito hospitileiro.

Hino de Santarém
Letra: Paulo Rodrigues dos Santos (1948)
Música: Wilson Fonseca (1941)

Santarém do meu coração!
Terra mimosa, de paz e de sonhos de amor.
Santarém do meu coração!
Lindo jardim, vivaz canteiro do Céu todo em flor.
Santarém, princesa da luz,
De praias alvas e campinas verdes, rio de anil,
Onde flutuam iáras mil,
Loucas, ao léu na onda azul.
Santarém, meu jardim, meu Pará, Meu Brasil.

Imagem 398.redimensionado

Flor das margens virentes,
Formosas, ridentes,
Do meu Tapajós azul
– Azul como o Céu –
Quero cantar meu torrão, Santarém,
Terra de encantos, de amor e de luz,
Onde o Cruzeiro sem véu
Espelha a sombra da Cruz
No Céu.

(Oficializado como Hino de Santarém, pela Lei Municipal nº 245, de 22 de outubro de 1971)

Será um dia muito alegre com atrações para todos os gostos!!!

junho 19, 2009 Posted by | Amazônia, conversas mocorongas, cultura | Deixe um comentário

Nome, sobrenome e apelido

O Brasil é maravilhoso! Cheio de encanto, magia e acima de tudo identidade própria. Na Amazônia essa expressão vai ao extremo um dos exemplo disso é a identificação das pessoas. E incrivel! Autopropriação dos apelidos pelas pessoas ou de sua graça como diz a D. Batata (Sra. Terezinha, comunidade de Vila Gorete).

Vila Gorete, rio Arapiuns

Vila Gorete, rio Arapiuns

Na infância fugimos dos baixinhos, dentuço, cabide, cabelo enferrujado, perna de maçarico, pau de vira tripa e tantos outros. Na comunidade é muito diferente, quando nascem as crianças já adotam um “apelido”, careca, fofinho, lindinho, fofinho da mamãe esses são os sutis, quando bebê.

Continue lendo

janeiro 28, 2009 Posted by | amigos, conversas mocorongas, cultura | Deixe um comentário

Lendas da amazônia

Diz os mais velhos: era uma índia muito bonita que vivia nas margens do rio. Quando engravidou da grande cobra, nasceu duas crianças uma menina chamada de Maria e um menino chamado de Honorato. Duas crianças que foram jogadas no rio depois do nascimento.

meu-gimp

A mãe d’agua, permitiu sobreviverem. Cresceram com personalidades diferentes uma má que era a menina e o menino era bom. Nas noites de pescaria, a Maria transformava-se em cobra e assustava os pescadores naufragando suas canoas e vendo isso seu irmão Honorato sempre ajudava os naufrágos a irem até a beirado do rio. Certo dia, os dois tiveram uma grande briga Honorato conseguiu matar sua irmã acabando suas maldades mas foi atingido nos olhos, ficando cego vagando pelas profundesas dos rios aparecendo de vez enquando.

São tantas as versões que cercam a lenda da cobra grande, mas essa é a que ouvi numa rodada de estórias para dormir. E uns amigos de Vila Franca – rio Tapajós contam também nas festas grande na comunidade, através de dança. Qulaquer dia desses irem ouvir e ver essa estória de Cobra Grande.

Um abraço mocorongo!!

Elis Lucien

janeiro 9, 2009 Posted by | amigos, coisas de criança, conversas mocorongas, cultura | 1 Comentário

Moqueca

CULINÁRIA

MOQUECA DE FILHOTE PARAENSE

INGREDIENTES

– 3 POSTAS DE PEIXE FILHOTE

– SUCO DE 1 LIMÃO

– 3 DENTES DE ALHO

– ½ XÍCARA (CHÁ) DE VINHO BRANCO SECO

– SAL

INGREDIENTES

– CEBOLA

— 3 PIMENTAS VERDES SEM SEMENTES

– 2 TOMATES

– ½ LITRO (CHÁ) DE AZEITE DE OLIVA

– 2 COLHERES (SOPA) DE COENTRO PICADO

muq

Continue lendo

janeiro 7, 2009 Posted by | conversas mocorongas, cultura | 1 Comentário

Reforma Ortográfica 2

Por Elis Lucien, publicado originalmente no blog da www.redemocoronga.org.br

Agora saiu mesmo do papel o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. Que é um acordo que incorpora características da ortografia utilizada por Portugal e pelo Brasil. O português é a quinta língua mais falada no mundo, mas os países que oficialmente falam o português são: Brasil, Portugal, Angola, Moçambique, Cabo Verde, Guiné-Bissau, São Tomé e Timor Leste todos da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Esse acordo entrou em vigor e atingirá apenas 2% da escrita, deixando quase intactas as regras de acentuação gráfica, suprimindo o trema, simplificando as regras do hífem e eliminando as consoantes mudas.

Vamos as regras para não esquecer:

HÍFEN

Não se usará mais:
1. quando o segundo elemento começa com s ou r, devendo estas consoantes ser duplicadas, como em “antirreligioso”, “antissemita”, “contrarregra”, “infrassom”. Exceção: será mantido o hífen quando os prefixos terminam com r -ou seja, “hiper-”, “inter-” e “super-”- como em “hiper-requintado”, “inter-resistente” e “super-revista”
2. quando o prefixo termina em vogal e o segundo elemento começa com uma vogal diferente. Exemplos: “extraescolar”, “aeroespacial”, “autoestrada”

TREMA
Deixará de existir, a não ser em nomes próprios e seus derivados

ACENTO DIFERENCIAL
Não se usará mais para diferenciar:
1. “pára” (flexão do verbo parar) de “para” (preposição)
2. “péla” (flexão do verbo pelar) de “pela” (combinação da preposição com o artigo)
3. “pólo” (substantivo) de “polo” (combinação antiga e popular de “por” e “lo”)
4. “pélo” (flexão do verbo pelar), “pêlo” (substantivo) e “pelo” (combinação da preposição com o artigo)
5. “pêra” (substantivo – fruta), “péra” (substantivo arcaico – pedra) e “pera” (preposição arcaica)

ALFABETO
Passará a ter 26 letras, ao incorporar as letras “k”, “w” e “y”

ACENTO CIRCUNFLEXO
Não se usará mais:
1. nas terceiras pessoas do plural do presente do indicativo ou do subjuntivo dos verbos “crer”, “dar”, “ler”, “ver” e seus derivados. A grafia correta será “creem”, “deem”, “leem” e “veem”
2. em palavras terminados em hiato “oo”, como “enjôo” ou “vôo” -que se tornam “enjoo” e “voo”

ACENTO AGUDO
Não se usará mais:
1. nos ditongos abertos “ei” e “oi” de palavras paroxítonas, como “assembléia”, “idéia”, “heróica” e “jibóia”
2. nas palavras paroxítonas, com “i” e “u” tônicos, quando precedidos de ditongo. Exemplos: “feiúra” e “baiúca” passam a ser grafadas “feiura” e “baiuca”
3. nas formas verbais que têm o acento tônico na raiz, com “u” tônico precedido de “g” ou “q” e seguido de “e” ou “i”. Com isso, algumas poucas formas de verbos, como averigúe (averiguar), apazigúe (apaziguar) e argúem (arg(ü/u)ir), passam a ser grafadas averigue, apazigue, arguem

GRAFIA
No português lusitano:
1. desaparecerão o “c” e o “p” de palavras em que essas letras não são pronunciadas, como “acção”, “acto”, “adopção”, “óptimo” -que se tornam “ação”, “ato”, “adoção” e “ótimo”

Mas, não se preocupem as pronúncias serão às mesmas. Deixe a “cola”, ao lado para tirar dúvidas eventuais. Estamos nos adaptamos aos poucos.

Boa escrita!


janeiro 6, 2009 Posted by | amigos, conversas mocorongas, cultura | Deixe um comentário

Reis Magos

Dia seis de janeiro, minha bisavó dizia que já era tempo de desarmar a árvore de natal e guardar. E em algumas religiões hoje é o dia de trocar presentes, simbolizando os presentes dos Reis Magos. Lembro-me bem,  da nossa árvore. Era de galho seco enfeitado com algodão para ficar bonita e dizer que era a neve lá do pólo norte, onde nas suas estórias falava da casa do Papai Noel – o bom velhinho que iria trazer os presentes para as crianças que ia dormir cedo e era obediente aos seus pais e aos mais velhos. E nós, crianças acreditava nessa estória.

reis-magos

No dia vinte e cinco de dezembro, eu e minha irmã corria as escadas para ver se o bom velhinho tinha lembrado da gente. Quando não tinha presentes em nossa árvore, minha mãe dizia que o Papai Noel estava ainda entregando os presentes e ficávamos esperando os presentes na semana do Natal e ele sempre deixava embaixo de nossas redes ou  embaixo da cama da mamãe.

Lembro de uma boneca de borracha chamada Tatá, tinha cabeça chata mas gostavámos muito dela. E também, de uma bonequinha de plástico de pernas tortas e braços abertos com um pipo vermelho e de calcinha amarradinha  era muito linda. Mas toda essa nostalgia é pra falar que hoje dia 06 de janeiro é dia dos Reis Magos.

Continue lendo

janeiro 6, 2009 Posted by | coisas de criança, conversas mocorongas, cultura | Deixe um comentário

Vamos cuidar do Pará

Carta de Responsabilidades – Vamos Cuidar do Pará

Belém, 03 de Dezembro de 2008.

Nós, estudantes, crianças e jovens do estado do Pará, participantes e construtores da nossa I Conferência Estadual Infanto-Juvenil pelo Meio Ambiente, realizada nos dias 01, 02 e 03 de Dezembro de 2008, viemos através desta Carta de Responsabilidades, que assumimos e encaminhamos a Exma. Governadora do Estado, Ana Júlia de Vasconcelos Carepa, apresentar todas as propostas e deliberações, a seguir:

bandeira

1) Compromisso de todos pela sensibilização, conscientização e cooperação para que todas as escolas do Pará tenham Com-Vidas (Comissões de Meio Ambiente e Qualidade de Vida) funcionando e atuantes pela preservação sociombiental das comunidades;

2) Reaproveitamento e reutilização da água da chuva com incentivo e investimento do Governo e apoio da comunidade;

3) Fiscalização dos órgãos competentes em relação ao uso e acesso de água boa e de qualidade para todos os cidadãos paraenses. Ex. caixas d`águas, poços artesianos em comunidades carentes e instalação de estações de tratamento de esgotos em todas as cidades e regiões;

4) Plantar árvores nas encostas dos rios, margens de lagos e igarapés, estimulando projetos e campanhas de arborização nas cidades e nas escolas, através de parcerias entre as secretarias de meio ambiente, urbanismo e educação;

5) Promover palestras de educação ambiental em todas as escolas e comunidades;

6) Disponibilizar barcos que façam coletas do lixo nos rios, igarapés, lagos e mar, assim como equipes para limparem as praias;

7) Fazer palestras de conscientização ambiental nos navios e barcos que fazem viagens pelos rios, como também palestras nas comunidades sobre o perigo de beber água contaminada, promovendo campanhas de orientação para toda população ribeirinha e urbana;

8) Fazer coleta seletiva e reciclagem de lixo em todas as escolas. Com ajuda dos jovens e das Com-Vidas repensar o caminho do lixo doméstico sobre e sob o solo, reduzindo a quantidade do lixo produzido por dia, propagando uma consciência socioambiental;

9) Que o Governo não autorize e nem desenvolva projetos industriais, madeireiros e extrativistas que possam interferir ou fazer impactos no meio ambiente e afetar os recursos naturais, assim como garantir maior fiscalização no território da Amazônia paraense;

10) Garantir a criação de um fundo específico para as escolas criarem projetos de sensibilização e atuação dos alunos e comunidade, como por exemplo: as patrulhas ambientais e as Com-Vidas;

11) Promover projetos e campanhas de arborização nas cidades e nas escolas;

12) O Governo crie uma lei e fiscalize que todas as embarcações adeqüem seus banheiros para a coleta dos dejetos sanitários, evitando a poluição e contaminação das águas, tendo em vista que o transporte fluvial é predominante em nosso estado;

13) Proibir e orientar para que as casas de farinha tenham suas atividades longe dos rios, lagos, igarapés e poços, porque o líquido que sai do processo de extração do tucupi é muito ácido e contamina os cursos d`água;

14) Nos responsabilizamos em ajudar a manter o ar saudável, sensibilizando a juventude em relação as queimadas, desperdício de energia e lançamentos de gases nocivos ao ar;

15) Preservar plantas medicinais e aromáticas;

16) Assumir compromisso de difundir a idéia da consciência ambiental, garantindo a construção de uma sociedade sustentável para ajudar a mudar e cuidar do Pará e do Brasil começando pelas escolas;

17) Nós jovens do Estado do Pará assumimos o compromisso em respeitar as leis que já existem voltadas para o meio ambiente, pois se respeitássemos não estaria com toda essa crise ambiental. A política de proteção ambiental não é para dar futuro, e sim para construirmos um futuro e mantermos o presente.

dezembro 26, 2008 Posted by | conversas mocorongas, cultura | Deixe um comentário

Nossa pobre riqueza

Casa de farinha

Casa de farinha

A cultura de um povo permanece nas raízes do esquecimento desde que esse mesmo povo queiram resgatar sua identidade cultural. Valorizando o conhecimento dos povo ribeirinho encontrei esses relatos:

‘Antigamente, essa cultura era manifestada e do trabalho de roçado, fazendo puxirum onde escolhia-se o capitão da derruba do roçado para coordenar o trabalho, tinha a gaçaba e a gamela cheias de tiborna, tarubá, maniqüera e um moquém cheio de carne moqueada. As panelas e os pratos eram feitos de barro e a colher, da árvore pegavam a cuia pitinga com bebida e começavam a dançar, as pessoas vinham de lugares distantes e havia muita harmonia.

Continue lendo

novembro 27, 2008 Posted by | amigos, conversas mocorongas, cultura | Deixe um comentário

Círio 90

Romaria de fé e muita disposição para caminhar com a padroeira de Santarém. Começou no domingo dia  23 de novembro e vai até o dia 08 de dezembro as festividades da Nossa Senhora da Conceição, padroeira de Santarém/PA.

“Maria, discípula missionária, a serviço da vida plena”

panfleto doado no cirio 2008

panfleto doado no círio 2008

Com nove décadas de amor e devoção os pagadores de promessas e fiéis caminharam 7 KM pelas ruas de Santarém com diversas homenagens em todo o seu percurso e uma das mais esperada, foi a do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Santarém com a queima de muitos fogos de artifícios. Este momento a emoção invade os corações dos peregrinos e as lágrimas de alegria e devoção rolam nas faces de centenas dos devotos.

“Maria, ensina-nos a seguir o caminho do bem ajudando o próximo”.

Elis Lucien

Um grande abraço mocorongo!

novembro 25, 2008 Posted by | conversas mocorongas, cultura | Deixe um comentário